Sons da Liberdade * Jorge Rivotti e Ahí Namá * fotografia por Sílvia Brites

Concerto de Jorge Rivotti e Ahí Namá no Sons da Liberdade, Vox Café na Graça.

Fotografia por Sílvia Brites, clique na imagem para avançar.

Agradecimento na 6ª edição do Sons da Liberdade

Caros libertinos sonoros,

Queremos dirigir um abraço forte a Jorge Rivotti, a AHÍ NAMÁ, ao público e ao Vox Café n’A Voz do Operário, pelo excelente ambiente que se criou ontem na Voz Operário Graça.

Nesta primeira edição do Sons da Liberdade com 7 concertos duplos, o sétimo concerto fecha este ciclo de 2014 já na próxima sexta-feira!

Para Novembro temos no mesmo sítio, sextas às 23:00, Maria João Fura, Nilson Muniz, A Besta com Deslize e Pakita Pouco.

Registem-se na newsletter em arquitecturadoruido.com para receberem informação e convites.

Grande abraço, PPR

Jorge Rivotti e Ahí Namá ao vivo no Sons da Liberdade

Caros Libertinos Sonoros,

Estamos a caminho da sexta edição do Sons da Liberdade, dia 17 de Outubro, próxima sexta-feira.

Na presente edição contamos com Jorge Rivotti, cantautor especialista em descomprimir. O concerto do músico, artista plástico e professor, é na “verdade” um desconcerto, dada a capacidade de empatia e comunicação com o público que corresponde derretido. Dá-se um loop de paz e amor, como uma cascata de boas vibrações com traços da música tradicional e popular portuguesa psicadélica com espírito rock’n’roll. Tudo fruto da sua arte, na composição, arranjo e escrita. “Canções de Amor Pintadas de Amarelo” foi o trabalho que escolheu dar-nos a conhecer no programa de rádio Arquitectura do Ruído na Rádio Zero, marco da sua carreira riquíssima em colaborações, participações, concertos, rádio/televisão… Ouvinte atento de muita música é detentor de uma cultura musical muito extensa, actuando neste projecto em nome próprio como espaço de experimentação da canção.

Ahí Namá é expressão popular e celebração da música tradicional cubana em Lisboa. O projecto chegou-nos através de Jorge Valadas e o repertório faz jus ao que de melhor musicalmente conhecemos da ilha caribenha, propondo um alinhamento recheado de temas tradicionais e menos conhecidos do Caribe. No Vox Café n’A Voz do Operário estarão a alma cubana da havanesa Betty (Beatríz Días), música de formação, bailarina, professora e mais recentemente assumida artista plástica, autora da ilustração que dá corpo ao cartaz do concerto; a voz, guitarra e tres, guitarra cubana, do luandense Ricardo Gouveia; e a percussão do lisboeta Jorge Valadas, todos músicos do mundo na cosmopolita grande Lisboa.
Características do projecto são a qualidade dos músicos, a alma e expressividade da interpretação e o insólito das Caraíbas.

Na reunião de preparação do concerto em casa de Rivotti, lançada e aceite uma proposta, a voz de Betty foi uma surpresa, mesmo sem aquecimento vocal. Com Valadas a fazer percussão com as mãos, a cantora guitarrista e Rivotti conheceram-se a tocar, fixando logo ali ideias.

6sdl

Por perto há sempre lugar para deixar o carro, seja na rua da Voz, seja no Campo de Santa Clara, e mais à frente em Sapadores, há a rede da madrugada de autocarros para toda a cidade.

Sexta-feira preparámos uma noite especial de colaboração entre artistas e expressões musicais e esperamos contar convosco/consigo/contigo entre o público do Sons da Liberdade!

Abraço ruidoso,
PPR

cartaz_a3_1