IT’S KITSCHMAS BABY FESTA DE NATAL : CONCERTO DE BIG CHURCH OF FIRE E APARIÇÃO DOS JUAN INFERNO – BARTÔ -> SÁB 20 23:00 ENTRADA LIBRE

NO BARTÔ DO CHAPITÔ

20 DEZ SÁBADO 23.00 ENTRADA LIVRE

Big Church of Fire The Big Church of Fire são uma banda de Lisboa que recria um universo artístico que se cruza nas paisagens áridas do Oeste americano. Reverend Joe, Brother Louie e Peter Schmiedin. Duas guitarras e uma bateria. Gravaram o seu primeiro trabalho em 2009, “For Tura with Love”, com Matt Verta-Ray (Heavy Trash, Speedball Baby), história ela própria nascida da aventura do fortuito. Dedicaram-no a Tura Satana, actriz de culto e femme fatale dos anos 50.
Os The Big Church of Fire acabam de lançar o segundo trabalho, intitulado “Banditti con Amore”, gravado em Junho de 2014 nos estúdios King do Nick Nicotine, trabalho onde continuam a explorar histórias de acasos traduzidos num rock psicadélico marcado por referências de Buckowski a Leone.

JUAN INFERNO trio chunga -flamboyant de Lisboa, movem-se entre a performance e o noise extremo, gostam de misturar luzes stromp, pontapés e melodias que nos levam algures entre o cortar dos pulsos e a levitação psicosomática.

RECOMENDAMOS -> OPEN YOUR MIND

Programação do Bartô para Outubro

03 SEXT OUT 23.30 ENTRADA LIVRE
MÁRIO O TROVADOR E AMIGOS

Mário, o “Trovador”, é um cançonetista prolífero, disfuncional, inventido,
controverso, ultraromantico, irregular, destruidor de todas as normas e
convenções, criador de belas melodias e textos simples e acutilantes na sua
poética.


04 SÁB OUT 23.00 ENTRADA 3 EUROS
V-ZONE (EUA)

V-ZONE são dois jovens recém chegados de Nova Iorque para apresentar o seu
novo trabalho. Este fim de semana estarão em Lisboa.  Percusão misturada com
hip hop beats e trap hi-hats. Melodias étnicas e tribais misturadas num
complexo universo cósmico.


05 DOM OUT 23.30 ENTRADA LIVRE
CHALO CORREIA

Músico e compositor angolano a residir em Portugal, Chalo Correia actua no
Bartô a partir das 23h30. O seu violão, harmónica e voz interpretarão
clássicos da música angolana, de grandes autores como David Zé, Urbano de
Castro, entre outros. Uma noite imperdível, a fazer lembrar as festas de
quintal nos musseques de Luanda.


06 SEG OUT 22.30 CONSUMO MINÍMO OBRIGATÓRIO 5 EUROS
FADO
TERESA BRUM

Acompanha Ricardo Rocha na guitarra portuguesa e Mário Estorninho da viola
de fado.


07 TER OUT 22.30 CONSUMO MINÍMO OBRIGATÓRIO 5 EUROS
FADO
LILIANA SILVA

Acompanha Diogo Lucena e Quadros na guitarra portuguesa e Luís Roquette na
viola de fado.


09 QUI OUT 22.30 ENTRADA 3 EUROS
Cigüeña e Ocelot Kid

Cigüeña = Martín e Unai. Unai e Martín. Bateria e guitarra. Guitarra e
batería. Punk-rock. Paixão. Paixão e punk-rock. Punk-rock entendido como uma
verdade. Paixão entendida como se cada canção fosse a última que vão
escrever nas suas vidas. A canção. Paixão entendida como se cada concerto
fossem os últimos 15 minutos do prolongamento da final da Liga dos Campeões.
Uma final da Liga dos Campeões que nenhuma das equipas jamais chegará a
vencer. O primeiro disco é fixe. Gravado ao vivo, como nos seus concertos.
Paixão. A canção. O segundo disco ainda é mais fixe, …gravado ao vivo por
Pablo Peiró dos Betunizer. Apresentam-nos o seu segundo disco: «Neptuno».
Continuam sem inventar nada, já o fizeram bandas como: Drive Like Jehu,
Fugazi, Hüsker Dü, Jawbreaker, Hot Snakes, Superchunk, Rites of Spring, etc.
Martín e Unai. Bateria e guitarra. Paixão. A canção. Punk-rock directamente
de Valência para Lisboa.

Ocelot Kid é um duo nascido na cidade do Montijo. Com uma sonoridade que
junta o lado mais abrasivo do espectro musical com uma tenacidade vinda do
punk e uma ética d.i.y. guitarra + bateria, peso à antiga. Ou como escreveu
Rui Eduardo Paes no seu blog Bitaites: «A música tresanda a Black Sabbath e
Discharge, situando-se a meia distância entre o metal e o punk, e se
quiserem um ponto de referência atual, digamos que os Melvins não
desdenhariam ter estes pequenos leopardos tugas a fazer as primeiras partes
dos seus concertos.»Ocelot Kid é um duo nascido na cidade do Montijo. Com
uma sonoridade que junta o lado mais abrasivo do espectro musical com uma
tenacidade vinda do punk e uma ética d.i.y. guitarra + bateria, peso à
antiga.


10 SEXT OUT 22.30 ENTRADA LIVRE
CONCERTO IMPROVÁVEL N. 4
FREE JAZZ VS GRIOT
CARLOS BARRETTO, MUKYO ZAIKO, MÁRIO BABRÉM

O Concerto improvável junta diferentes formações/músicos para um concerto
único e completamente dedicado á improvisação, desta vez junta o contabaixo
de Carlos Barretto à cabaça de Mukyo e
a voz e guitarra de Mário Bábrem, o Jazz versus a música Griot da Guiné.


11 SÁB OUT 22.00 ENTRADA LIVRE
LISBON TROPICAL ROCK AND ROLL PARTY


12 DOM OUT 22.00 ENTRADA LIVRE
PÉQUI COM ARROZ (BRASIL)

ELÔ BARBOSA DJ SET directamente do Brasil. Elô traz a sua tropicalatinidade
à pista do Bartô.


13 SEG OUT 22.30 CONSUMO MINÍMO OBRIGATÓRIO 5 EUROS
FADO
TERESA BRUM

Acompanha Ricardo Rocha na guitarra portuguesa e Mário Estorninho da viola
de fado.


14 TER OUT 22.30 CONSUMO MINÍMO OBRIGATÓRIO 5 EUROS
FADO
SILVANA PERES

Acompanha Diogo Lucena e Quadros na guitarra portuguesa e Luís Roquette na
viola de fado.


16 QUINT OUT 22.30 ENTRADA LIVRE
POESIA NO TANQUE

Poesia no Tanque está de volta para 4 sessões endiabradas, uma 5ª-feira por
mês, com o poeta-editor Nuno Moura como chefe-de-sala, sendo a poeta
convidada de outubro Matilde Campilho.


17 SEX OUT 22.30 ENTRADA LIVRE
NOITE CLOWN DO BARTÔ


18 SÁB OUT 22.30 ENTRADA 3 EUROS
COMMONPLACES (ESPANHA) e DESLIZE (PT)

Os Commonplaces são uma banda de rock instrumental. Pura e simplesmente.
Porque se os quisermos enquadrar num estilo, nunca será claro se pesam mais
as diversas ramificações do pós-rock, as mudanças inesperadas de ritmo e
estrutura do math-rock e do rock progressivo, os ataques violentos do
pós-hardcore ou os espasmos cheios de groove da chamada música de dança.
Tortoise, Fugazi, Oceansize, Cougar, Faraquet, At The Drive-In, Pink Floyd,
Pelican, todas estas influências ressoa…m e se difundem numa sonoridade
muito própria que acaba por ser mais do que a soma das partes.
Formados em finais de 2007 em Cádis (Espanha), já deram concertos um pouco
por toda a Espanha e também em Marrocos, França e Inglaterra e lançaram um
EP e dois LPs. Regressam agora a Portugal para apresentar o seu último álbum
“Catch It There”, editado no ano passado pela editora The Bloody Dirty
Sanchez e que conta de novo com a colaboração de Calde Ramírez (Music
Komite) numa magistral remistura de um dos temas do disco.

Deslize é um projecto de exploração acústica de timbres e sons pouco
convencionais em instrumentos tidos em conta como comuns. Uma guitarra
clássica e uma guitarra acústica, cordas de nylon e cordas de aço,
transformadas através de “jacarés”, molas, ferros, dedos e palhetas. DESLIZE
é uma viagem por um mundo de inúmeras (des)afinações, passando pelas
localidades surrealistas da experimentação, sonhando tonalidades exploradas
até ao infinito, reagrupando tudo numa linguagem universal. A bagagem
completa-se com dispositivos analógicos e digitais que servem de ponto de
partida e chegada para o ondular das guitarras. Hélder José e João Mendes de
Sousa convidam-vos a deslizar pelos sonhos ou talvez por pesadelos.

DESLIZE é um projecto de exploração acústica de timbres e sons pouco
convencionais em instrumentos tidos em conta como comuns. Uma guitarra
clássica e uma guitarra acústica, cordas de nylon e cordas de aço,
transformadas através de “jacarés”, molas, ferros, dedos e palhetas. DESLIZE
é uma viagem por um mundo de inúmeras (des)afinações, passando pelas
localidades surrealistas da experimentação, sonhando tonalidades exploradas
até ao infinito, reagrupando tudo numa linguagem universal. A bagagem
completa-se com dispositivos analógicos e digitais que servem de ponto de
partida e chegada para o ondular das guitarras. Hélder José e João Mendes de
Sousa convidam-vos a deslizar pelos sonhos ou talvez por pesadelos.


19 DOM OUT 23.30 ENTRADA LIVRE
MISTURA PURA

Mistura Pura é a ideia musical de Mick Mengucci, nascido em Rimini, Itália.

A música produzida é um funk baseado nos ritmos brasileiros (samba, afoxé,
baião e maracatu), cubanos (som e rumba), cabo-verdianos (coladeira, batuque
e funaná), angolanos (semba e kilapanga), coloridos com harmonias e
atmosferas estilo bossa-nova cantado em português-italiano-inglês.


20 SEG OUT 22.30 CONSUMO MINÍMO OBRIGATÓRIO 5 EUROS
FADO
TERESA BRUM

Acompanha Ricardo Rocha na guitarra portuguesa e Mário Estorninho da viola
de fado.


21 TER OUT 22.30 CONSUMO MINÍMO OBRIGATÓRIO 5 EUROS
FADO
TERESA LANDEIRO

Acompanha Diogo Lucena e Quadros na guitarra portuguesa e Luís Roquette na
viola de fado.


23 QUIN OUT 22.30 ENTRADA LIVRE
RÁDIO ACTO

Rádio-Acto é um formato de rádio ao vivo do programa Arquitectura do Ruído
na Rádio Zero.
Conta com PPR na condução do serão. O objectivo é conhecer, compreender e
divulgar o  trabalho dos convidados. O público terá espaço para participar,
comunicando directamente com os autores.


24 SEXT OUT 22.30 ENTRADA LIVRE
NICOTINAZINE

NOITE DA REVISTA DE POESIA NICOTINAZINE.


25 SÁB OUT 22.30 ENTRADA 3 EUROS
FUZZ

APRESENTAÇÃO DO EP FINDING UNIQUE ZEN ZEBRAS

Os FUZZ são uma banda das Caldas da Rainha , cidade já sobejamente conhecida
pelo nascimento de muita boa música alternativa nos últimos tempos ,
nascida em 2012 têm já muito trabalho na psicadelia, ou o nome deles não
fosse fuzz, pós-stoner rock para abanar a cabeça . Vêem ao Bartô apresentar
o single Northern Lights do ep Finding Unique Zen Zebra.


26 DOM OUT 23.30 ENTRADA LIVRE
TRIBUTO A BOB MARLEY

Orlando Santos na voz e guitarra, Ricardo Santos na bateria e Renato Chantre
no baixo.


27 SEG OUT 22.30 CONSUMO MINÍMO OBRIGATÓRIO 5 EUROS
FADO
TERESA BRUM

Acompanha Ricardo Rocha na guitarra portuguesa e Mário Estorninho da viola
de fado.


28  TER OUT 22.30 CONSUMO MINÍMO OBRIGATÓRIO 5 EUROS
FADO
SARA CORREIA

Acompanha Diogo Lucena e Quadros na guitarra portuguesa e Luís Roquette na
viola de fado.


30 QUIN OUT 22.00 ENTRADA LIVRE
MILONGA organizada por Adam Vucetic

31 SEXT OUT 22.00 ENTRADA LIVRE
ORQUESTA METAFÍSICA (ARGENTINA) e KAFUNFONOSOUNDSYSTEM

Orquesta Metafísica foi criada em Buenos Aires, em 2009, pelo compositor,
pianista e guitarrista Sebastian Volco. Não se enquadrando em nenhum genero
definido, a Orquesta Metafísica desenvolveu o seu próprio estilo de música,
inspirando-se no rock, jazz, tango e música clássica avant-garde, como Frank
Zappa, King Crimson, Miles Davis, Astor Pizzolla, Igor Stravinsky e Alberto
Ginastera. Ao invés de tentar fazer uma fusão desses géneros, a Orquesta
Metafísica incorporou alguns dos seus elementos para criar música que evoca
o mistério da vida. Muito rapidamente, Orquesta Metafísica tornou-se uma
banda de culto entre os amantes de música alternativa e avant-garde de
Buenos Aires.  Desde a sua criação, Orquesta Metafísica organizou várias
performances cross-género com outros artistas (cineastas, acrobatas,
dançarinos, poetas, etc) e tem vindo a desenvolver um conceito de uma “ópera
metafísica”, um evento multi-disciplinar com base na música instrumental .
Hoje conta com 10 elementos.

DJ SET KAFUNFONOSOUNDSYSTEM é uma expedição à floresta musical de Pangeia, terra onde estávamos todos juntos, mas não existíamos.
É uma playlist-act em vinyl e gameboy com muitas músicas, temas, cantigas e canção.
Frequentemente ouvidos mais rápidos que a sua própria sombra são apanhados desprevenidos.
Com Kafunfo, João Marques proporciona-nos uma prancha onde se pode conseguir um mergulho na estética do insólito, ficando depois à beira costa a conversar.
Há quem dê mesmo umas braçadas em mariposa. Sempre a dançar e a conviver.