Milhões de Festa 2014

Bem-vindos ao Bloco de Notas do programa Arquitectura do Ruído na Rádio Zero sobre a próxima edição do festival nos dias 24, 25, 26 e 27 na cidade de Barcelos.

Em constante actualização [F5] apresentamos informação sobre bilhetes, artistas do cartaz, boleia, transportes, alojamento e contactos úteis.
Informação mais detalhada e actualizada pode ser encontrada no site oficial Milhões de Festa e respectivo facebook. Para receber actualizações por email, a newsletter subscreve-se aqui. Procurem pelos passatempos e assistam aos vídeos.
Caso a informação desta página esteja incorrecta contactem-nos.
Boa surfada na página e mandem vir música pela net todas as sextas-feiras às 19:00 em directo na Rádio Zero em Lisboa, agora em modo até Barcelos!

Reportagens

Nota: O som foi captado com gravador Yamaha-Pocketrak-C24 do lado do público, pelo que a qualidade é relativa e destina-se a registo e arquivo. No caso de ter interesse em ouvir estes sons com a máxima qualidade conhecida, dirija-se a um concerto e apoie as bandas.

Dia 27 – Sons do concerto de Melt Yourself Down
Dia 27 – Sons do concerto de Night Beats
Dia 27 – Sons do concerto de Earthless
Dia 27 – Sons dos concertos de Young Magic e Jagwa Music
Dia 27 – Sons do concerto de Filho da Mãe & Norberto Lobo
Dia 27 – Sons do concerto de The Comet is Coming
Dia 26 – Sons do concerto de High on Fire
Dia 26 – Sons do concerto de Glockenwise
Dia 26 – Sons do concerto de Flamingods
Dia 26 – Sons do concerto de Equations
Dia 26 – Sons do concerto de Black Bombaim com Rodrigo Amado, Isaiah Mitchell e Shela
Dia 26 – Sons do concerto de A Tree of Signs
Dia 25 – Sons dos concertos de Vicious Five e Sensible Soccers
Dia 25 – Sons dos concertos de Boogarins e Fumaça Negra
Dia 25 – Sons dos concertos de Chelsea Wolfe e The Cult of Dom Keller
Dia 25 – Sons dos concertos de Riding Pânico e Ramboiage
Dia 24 – Primeiro dia em Barcelos, sons dos concertos de Putan Club e Iguanas

BILHETES / TICKETS

ONLINE

Bilheteira do Milhões de Festa

IN STORE / LOJAS
Lojas habituais FNAC, CTT, Worten

PREÇO
BILHETE GERAL / 3-day tickets – 60 euros
BILHETE DIÁRIO / 1-day tickets – 30 euros

Bandas / Bands

24 Julho / July

 Line-up Palco

Ensemble Insano
“Ao longo dos últimos cinco anos, este tem sido um festival de Barcelos para o mundo e do Universo para esta pequena cidade minhota de grande coração. O que recebemos retribuímos, mesmo que o custo seja a humilde megalomania do DIY. A relação é simbiótica e a retribuição chega na forma de Ensemble Insano, a loucura de fazer o verdadeiro e derradeiro super-grupo de Barcelos para uma única performance de pura improvisação. Eles dão-nos meia hora histórica, o Milhões dá-lhes um palco no castelo. Se isto não é amor, não sabemos como lhe chamar.” Milhões de Festa

Gonçalo
“O Gonçalo é um rapaz de 25 anos, de Braga, que decidiu lançar umas ideias agora a solo. Faço parte dos Long Way to Alaska, também, e a caminhada já tem sido longa com a banda. Mas entretanto começaram a surgir estas ideias, estas bases de guitarra a solo que fui compilando ao longo de dois anos. Finalmente tivemos o tempo para gravar, fazer a coisa com calma, e editar agora com a Lovers & Lollypops.” Strobe


QUIM by Gonçalo

Modernos
“Os Capitão Fausto não lhes bastavam: Tomás Wallenstein, Salvador Seabra e Manuel Palha prometem invadir o verão português com o novo projecto, os Modernos. Com influências e estilo já definidas na banda anterior, mas a levar mais para o garage do que para o psicadélico, o single “Só Se Te Parecer Bem” traz-nos uma preguiça bem-disposta e simpática que nos deixa a salivar pelo EP, que sairá em breve.
Pop-rock simples e despido de grandes produções, sinceridade delicodoce para quem quiser”. ALTAMONT
modernos
Só Se Te Parecer Bem by Modernos

Rodrigo Amado Motion Trio
“Todos os projectos que edito em nome próprio são totalmente improvisados. Isso faz com que não tenha de passar pelo processo da composição. No caso do meu trabalho, a composição é feita em tempo real, no palco ou no estúdio”
FONTE,Site

Alek Rein
“Alek Rein is a character created by Oriano (Alexandre Rendeiro), according to the concept of heteronym coined by the Portuguese poet Fernando Pessoa. Oriano interprets Alek Rein’s songs, lending his voice and guitar arrangements.”Bandcamp
“Nascido em 1988, New Jersey, EUA. Licenciado em Arte e Multimédia na Faculdade de
Belas Artes da Universidade de Lisboa.
Alek Rein é o nome do heterónimo criado por Alexandre Rendeiro. O último serve como
mediador e intérprete das composições do primeiro e da vontade de homenagear o poeta
Fernando Pessoa.” ATR
Alek Rein
GEMINI (EP) by Alek Rein

Serrabulho
“De Trás-os-Montes surge-nos um dos coletivos mais extravagantes do cenário nacional: os Serrabulho! Praticantes de happy grind, o coletivo estreia-se para a Vomit Your Shirt com Ass Troubles. A banda reuniu-se para nos falar da peculiaridade do projeto e do seu primeiro disco. Naturalmente, sempre com muito bom humor…” Via Nocturna


Spanish (and Guests) Tribute to Dead Infection by SERRABULHO

Iguanas
“Iguanas é doce, é sonho, é kinky, é bom tempo. Iguanas são Leonardo Bindilatti e Lourenço Crespo e fazem parte da Cafetra, os putos mais fixes de Lisboa.” ATR

Putnam was the Bastard
“Putnam Was The Bastard – Mourning the monstruous loss of our eternal master mister Seth Putnam. Still we’re glad hipsters fags haven’t noticed how genious he was.”YOUTUBE
“O dia mais longo e já com dois dias acumulados de chuva sem tréguas e com a lama a alastrar não poderia ter tido melhor começo com Putnam Was The Bastard: noise sem input (ou descanso…), formatos de armazenagem caduco projectados em direcção ao público e uma homenagem contínua a Anal Cunt.”Ruído Sonoro
PWTB, Show Me Your Metal

Ghetthoven
On the interstellar vogue, we have a rising star, Ghetthoven by his name, he takes music like a religion. Carnal, lewd, he has by his side, luxury and sexiness on his first debut single ”By My Side”, produced by BPTSM and video directed by André Tentugal and Vasco Mendes. Previously in orbit of projects like Crisis, Cut Slack and Voxels, now he takes is road alone, surrounded by his crew Biruta he prepares the launch of his debut EP ”MY SADISTIC WORLD”.
Facebook

Putan Club
“By creating the Putan Club, François R. Cambuzat was escaping several things:
– the stability, by developing and risking the solitude, or inviting other artists and other disciplines, besides music;
-any musical church, claiming on the contrary all its aesthetics;
-then the musical industry : until today, the Putan Club did not had the will to publish any album, favoring the real-life concert, immediate and unique.
The PUTAN CLUB is a resistance unit, distinguished by a way of action near to the very first European partisans conspiracies during the last world-war (strength actions in diverse places) and resistants in Iraq, Afghanistan or Chechnya.
The resistance is organized with the archaic and immediate ways of our century: voices & electrical rumors, military tank & counted words, as to say from the fresco painting to the most daring conceptualism, from avant-rock to modern contemporary music to the most brutal techno/house, from the mouth kiss to the kick in the ass, and so on…
The places of action are plural: from the Paris art-gallery to the Bosnian squat, from the German museum to a Japanese club, from a Belgian theatre to the most mythological Slovenian bars.
The PUTAN CLUB is claiming a bakuninian action of agit-prop. … hey baby, it’s subversive …” Site


DJs da Casa convidam DJ Sr. Guimarães
“Desde há 5 anos que o Passos Manuel faz parte do roteiro noctívago do Porto e o seu dono, António Guimarães (de Guimarães, calcule-se) é um dos nomes mais conhecidos da noite do Porto. O “Becas”, como todos o conhecem ou Sr. Guimarães (como se refere enquanto DJ), começou por se integrar na noite portuense desde que abriu o mítico Aniki Bobó, um bar na Ribeira quando esta era ainda frequentada sem medos e onde era possível encontrarmos toda uma variedade de pessoas. O Aniki, como o Passos de hoje, era frequentado por artistas, designers, alunos e professores de Belas Artes e figuras conhecidas da cultura portuense e já nessa altura o Becas se mostrava receptivo à apresentação dos trabalhos de novos artistas, motivando-os através da abertura deste espaço à exposição de projectos.” Rua de Baixo, Passos Manuel, Fotografia de Mário Henrique Pereira

25 de Julho / July

 Line-up Palco

M. Takara
“Mauricio Takara chega ao seu quinto disco em carreira solo, após o sucesso do último álbum, “Ocupado como gado com nada pra fazer”, lançado em vinil em 2008.
“Sobre todas e qualquer coisa” é um disco cheio de acidentes, resultando em ritmos que misturam música eletrônica, hip-hop, afrojazz e ritmos regionais. É assinado como “M.Takara-3” por conta da parceria com os músicos Rogério Martins e Guilherme Valerio. O vinil 12”, com lançamento simultâneo nos EUA, coloca Mauricio Takara como parte de uma geração que carrega a preocupação com a obra do ponto de partida até sua finalização.
Ao vivo, conhecido como M.Takara, Mauricio assume o controle de samplers, sintetizadores, trompete e percussão, em meio a ritmos que deixam espaço para desconstrução e improviso.
Nesta entrevista publicada no livro do projeto Cidade Sonora, ele – que toca nesta sexta-feira (12/10), como parte da programação do festival, na Sala Guiomar Novaes (Funarte) – fala sobre sua relação com a cidade e a expansão cultural em São Paulo.(…)” Uia Diário


Baoba Stereo Club
“O Baoba Stereo Club é um trio, que foi duo até 2009, mas atualmente tem se apresentado como quarteto com a participação do notável Maurício Takara (Hurtmold, SP- Underground e M.Takara 3).
Em 2006, no EP de estreia, a parceria começou com um remix feito por Maurico de uma das faixas do disco. Essa proximidade musical vem antes mesmo do BSC, surgiu em bandas e projetos mais antigos, fazendo com que esse novo EP soasse inesperado e ao mesmo tempo natural.
O EP, lançado em CD em 2013 (Desmonta) e LP (UnWork.Inc/Desmonta/Fatiado Discos), foi gravado ao vivo e traz cinco faixas: quatro composições inéditas e uma regravação.
Assim como no último disco, Henrique Diaz assina as guitarras, Bruno Gold os pianos e Paulo Soares percussão e bateria. Os trompetes, sintetizadores e tenori-on ficam por conta de Takara. A arte foi feita pelo grande artista plástico e quadrinista Rafael Coutinho, que já teve mostras na Choque Cultural e lançamentos independentes e pela Cia das Letras. Além do CD e Vinil, foi lançada uma série de gravuras numeradas e assinadas da capa do disco.
Os primeiros shows do disco aconteceram entre Abril e Maio de 2013, numa turnê pelo Reino Unido, Portugal e Espanha.” Desmonta

baoba stereo club + m.takara by DESMONTA

Puma Pumku
“El 12 de marzo fue uno de esos días en los que el sol salió en Compostela, uno de esos días que invitan a pasar la tarde en una terraza, viendo la vida pasar. Allí quedamos con dos de los cuatro miembros que forman el grupo de rock psicodélico Puma Pumku. Sillas de mimbre, sombrillas y gafas de sol llenaban las calles cercanas a Porta Faxeira. Se hacía patente el afán de la comunidad universitaria por aprovechar los primeros rayos de sol del año. Guillermo Cavero, “Pamper” y Álvaro Dosil, “Coque”, nos contaron la evolución y revolución del grupo que formaron junto a Óscar Raña y Amadeo Varela. La ocasión lo merece, pues este grupo, que tiene en torno a un año de vida, ya ha conseguido grabar su primer disco gracias al crowdfunding. Su primer trabajo saldrá en vinilos multicolor, todos ellos exclusivos. Tuvimos una conversación desenfadada mientras tomábamos aceitunas y unos refrescos. El peor momento fue al final de la entrevista cuando vimos la abultada cuenta. Pasar un rato al sol nos había salido caro, pero a cambio conseguimos todas estas anécdotas.” Compostimes



Puma Pumku Ep by Puma Pumku

Mother Abyss
“Com a recente extinção dos Burning Man, ex-membros da banda não perderam tempo e aproveitaram “uma jam, entre o André, o Afonso e o João, que simplesmente correu bem. Uma sintonia musical e uma partilha de influências que decidimos não desperdiçar.” Aquele que era um projecto paralelo acaba por se tornar no projecto principal.
Na escolha do nome, a resposta é simples: Black Breath. “Como qualquer banda, no seu início, andávamos em busca de um nome. Como naquela altura um dos álbuns que andavam a rodar no carro era o ‘Sentenced to Life’, o título Mother Abyss surgiu e foi uma escolha fácil.”
‘Enquanto que com Burning Man entravamos no palco com vontade de o destruir, com um instrumental e uma atitude “in your face”, Mother Abyss é totalmente diferente'” Nervos
“Mother Abyss surgiu como um projecto paralelo a Burning Man. Começamos por fazer algo mais experimental e ver onde as novas influências nos levavam. Quando BM acabou, decidimos tornar Mother Abyss o nosso projeto principal, em busca do som que nos definia.” Arte-Factos

Burden by Mother Abyss

Soccer96
“The Music of the Future, in the 70s.”
Posicionam-se no género “Alternative Slamming Analogue” são o duo Danalogue e Betamax de Brighton, London.

Soccer96 by Soccer96

Bispo
“Noite do Orfanato de volta ao Lounge. Novo sangue a ser mostrado, desta feita os Bispo. “Amén” podia ser o nome do primeiro álbum deles. Pregões de novas fantasias da música portuguesa a deambular entre o Céu e a Terra submetidos à força dos deuses. Teclados e sintetizadores (Ferreira e Paiva) compassados por uma bateria e caixa de ritmos (Milan), a fórmula simples, donos de um kraut pouco ortodoxo em autênticas tripadeiras capazes de humilhar qualquer maldição. Tanto imaginamos palmeiras e cocktails com sombrinha colorida, o exótico que lhes podemos ouvir nas batidas dançáveis, como o cenário noir enublado pode ser também argumento, há que estar preparado para qualquer situação. Normalmente instrumental mas não estranhem umas orações soltas a sumos tropicais pelo meio. O primeiro lançamento sai depois do verão pela nova editora Cuca Monga Discos e a primeira amostra, “Cancun”, já está cá fora. Apronta-se então a estreia oficial da banda em Lisboa e, de costas, para a janela, Pedro Ramos segue a putaria. Em nome do mal, que todas as quintas-feiras fossem assim.” MUDA, Orfão, Lounge

Dear Telephone
“Founded in 2010, Dear Telephone are Graciela Coelho, André Simão and Ricardo Cibrão (partners in La La La Ressonance) and Pedro Oliveira (the drummer of Peixe:avião and Old Jerusalem).
They were inspired by the 1976 short-film “Dear Phone” by Peter Greenaway, to express their will to decant soap operas and cheesy pocket paperback dramas through hard, frugal, minimalist compositions.” Site, Entrevista ao Blog BranMorrighan

Taxi Ballad by Dear Telephone

Riding Pânico


Riding Pânico – Homen Elefante by ragingplanet

Ramboiage
“Há DJs que são nerds, estão lá no mundo deles. E há DJs que sentem a pista de dança, querem dançar com ela, divertem-se, estão em sintonia com o público. Ramboiage é um desses, que entra nas nossas mentes e faz mexer o corpo durante horas. O estilo de música varia, assim como as noites variam, mas é certo que tem muito para dar.” Entrevista de Blindim Le Cool

Celeste/Mariposa
“Os Celeste/Mariposa são mais do que uma dupla que faz bailes. São um conjunto de forças combinadas com o propósito de divulgar a cultura musical dos PALOP. Não porque é da África dita portuguesa, mas porque é tão boa como a que povoa os tops, e está aqui tão perto e mesmo assim não é ouvida. O Afro-Baile é a uma das ferramentas que usam para este efeito. Uma forma de transmitir a cultura, dançando, rindo, celebrando. Presenciar uma actuação de José e Wilson é crescer culturalmente, absorvendo toda a informação da melhor maneira: festejando.” Entrevista de Célia F. para Le Cool

Jambinai
“We’re a rock band from Seoul that makes music with Korean traditional instruments. We won “Best Crossover Album” at the 2013 Korean Music Awards and last year were able to share our music overseas with audiences in Finland, Wales, Norway, and Brazil.” Ilwoo Lee / Korean Rock Is Real

Chelsea Wolfe
“Enter Chelsea Wolfe. To simply call Wolfeunique would be an understatement. Even among her peers in the so-called “drone-metal-art-folk” scene she’s an icon, a stand-alone singer/songwriter whose fully-formed aesthetic and haunting timelessness appear almost without effort.” Site

Boogarins
“A banda goiana Boogarins vem causando barulho no mundo da música – não só aqui no Brasil, mas também no exterior. Contratada pela gravadora norte americana Other Music Recording, sua música Lucifernandes foi considerada uma das melhores de 2013 por diversas publicações, como a revista Rolling Stone, e ontem os meninos foram confirmados no Primavera Sound, tradicional festival de Barcelona, além de presença confirmada no SXSW e mais turnês fora do país em breve.
Música Pavê teve a grande oportunidade de trocar uma ideia legal com a banda. Veja a conversa!”. Música Pavê, All Music
boogarins

The Vicious Five
“Cinco anos depois de um enterro mal amanhado, os The Vicious Five ressuscitaram apenas para dizer adeus. Em vez de deixarem um capítulo por concluir, escolheram encerrar o ciclo de vida da banda que volta agora para três concertos de despedida. No calor do regresso e com a ajuda da NOS Discos, veio mais um, com memórias de 2009. «Ghost Eviction» é o último passo até ao abismo do fim do grupo que conquistou pela ferocidade do seu rock arraçado de punk e pelos concertos incendiários.” My Way

Ginger and the Ghost
“NSW artists Ginger and The Ghost have been delving completely into their music since the day they formed, creating stage settings, costumes and songs with dream state quality’s. Their musical journey to date has been quite incredible, from intimate shows, national tours, to gigs overseas and with each next step they’ve progressed and taken things up a notch! Their latest EP Call Up The Whales has barely had time to breathe and the duo are back at again, collaborating and recording. Ginger talked to us recently about gigs and touring, what they’re currently working on and how they work in the studio together. ” Little Boom Music


The Cult of Dom Keller
“This is a band firmly rooted within the psychedelic tradition, bringing in the tunes of 60s flower power, the fuzzy guitar of those garage bands from the same era, adding in a Joy Division like mystery and blend it all together with krautrock aesthetics. It is a heady combination which is as intense as it is melodic.” Backseat Mafia

Secret Sounds by cult of dom keller

Fumaça Preta
“O que acontece se coloramos num mesmo espaço uma lenda da música brasileira, alguns membros da banda mais funk do Reino Unido e um produtor Português-Venezuelano? Ficamos com o som mais grooviest, selvagem e confuso que alguma vez possamos ter ouvido. Em homenagem à Tropicália (movimento cultural brasileiro que surgiu sob a influência das correntes artísticas de vanguarda e da cultura pop nacional e estrangeira no final da década de 1960) Fumaça Preta é um esforço final para tentar recuperar o ambiente psicadélico brasileiro dos anos 70 quase perdido, mas que ainda anda por aí.” Berlinda.org / Facebook

Sensible Soccers
“(…)ao ouvirmos 8, o seu disco de estreia, já tendo ouvido há três anos o EP que os impulsionou na cena musical portuguesa, já tendo ouvido “Eurobonds” e “Zaire 1974” e, claro, essa maravilha de dez minutos que dá pelo nome de “Sofrendo Por Você”, não podemos senão ter a sua afirmação como uma certeza. O mérito é todo dos quatro rapazes. É de sua responsabilidade alguma da melhor música feita nesta década, em todas as décadas quiçá; melancólica, hipnótica, dançável, headbangável, amada simplesmente.” Bodyspace

8 by Sensible Soccers

Baris K
“O dia era 18 de Maio de 2013 e eu estava voltando para São Paulo depois de mais de 7 meses na Bahia. O panorama não é fácil quando você está acostumado a ter um coqueiro, muitos acres de areia, um rio e um mar como brothers num dia e no outro está próximo à crackolândia, pisando em entulho, exposto a doenças raras como a erisipela, rodeado por centenas de pessoas, em plena Virada Cultural. Mas eu não estava nem aí, eu estava diante de um cara barbudo, com boné de marinheiro que mal mostrava seus olhos e esse cara hipnotizava a pista. Era uma mistura psicodélica de um techno pesado que nem aqueles socos no peito que tu levava na escola pré-bulling, com uns cantos turcos que pareciam vir dos anos 80. O nome desse monstro visigodo eu só fui saber no final de tudo: Baris K” Salada Cartel

26 de Julho / July

 Line-up Palco

The Milkyway Express
“Que cada vez haya más formaciones capaces de sonar como nativos de la música de raíces americana, es gratificante y para nada sorprendente. Las nuevas bandas han ido progresando tanto técnicamente como estilísticamente respecto a los artistas pioneros del rock en nuestro país. Que cumpliendo esos requisitos: suenen originales, creativos e interesantes, ya nos encontramos una lista mucho más menguada. The Milkyway Express son de esta especie tan selecta. Saben brindarnos blues, rock sureño, sonidos espirituales y mezclarlo con folk maldito. Creados en el dos mil cinco, se han arropado como una multidisciplinar formación que se consolido en un notorio primer lanzamiento tres años después de su nacimiento. El homónimo trabajo sirvió de salvoconducto para poder ser celebrado en los círculos especializados y fue la llave para desarrollar unos excitantes directos. Pero ha tenido que pasar un nuevo trienio para que The Milkyway Express se convirtiera en una maquinaria engrasada, capaz de erizar vellos, punzar el alma y hacer pactos con el diablo. Esta última, sería la razón más verosímil para entender que un trabajo como One Day in Summer se haya parido en Sevilla y no en Hoover (Alabama).” Ruta 66


PerroRosa by The Milkyway Express

Cró!
“Cró! es el grito que la banda usa para definirse a sí mismos. No es sólo una mezcla de sentimientos de jazz, clásica o rock, es también una comunicación entre música y video en tiempo real. La música fluye fácilmente entre los cuatro músicos y el video artista creando nuevos espacios y texturas en el contexto del rock. La banda ha estado tocando durante los 2 últimos años y ahora han conseguido un sonido e imagen identificativos. El primer LP (“Cró!) ha sido presentado en una gira que los ha llevado por País Vasco, Francia y Barcelona, volviendo con fuerza para presentarlo en casa.” Faro de Vigo


PERA by Cró!

Guerrera

· MAUNA LOA · by GUERRERA

A Tree of Signs
“A Tree Of Signs play Doom Rock with a scent of the 70’s.
The lyrics consists of older Alchemical manuscripts. The idea is to have the texts come to life in a musical Ritual.”

Saturn by A Tree of Signs

Pterossauros
“Slamming rock that rides on a jazzy horn. From the evolution of life through time and to the depths of infinite space, you won’t stop tapping your foot until meteors explode. Yes, there are a few.” Sound Cloud

Facebook

Solar Corona
“Solar Corona is a three-piece cosmic-flavoured project from Barcelos (PT), where both physical and surpassing shapes can be confused through an instrumental background.
Creators themselves, Rodrigo Carvalho (guitar), Jorge Esteves (drums) and Tiago Campelo (bass) are able to design several gateways to explore their minds, and lead others in.”

Outerspace by Solar Corona

Mdou Moctar
Mdou Moctar (also known as M.dou Mouktar) is a Tuareg songwriter and musician based in Agadez, Niger. He first became famous through a subtle trading network of cellphones and memory cards in West Africa.
Mdou Moctar is a popular wedding performer and sings about love and peace in Tamasheq.He is originally from Abalak and has also lived in Tchintabaraden and Libya.
Wikipedia, SITE

Memória de Peixe
““Memória de Peixe” are Miguel Nicolau (guitar) and Marco Franco (drummer). The band was formed in November 2010 by Miguel Nicolau. In other words, is called “Fish memory” in portuguese and it means short or lack of memory.
They use “live-looping” to create songs with short loops (around 8seconds), with multiple parts to develop and create songs with structure and improvisation moments.”


Memória de Peixe by Memória de Peixe

La Flama Blanca
“Pedro Azevedo veio da Madeira carregado de sonhos e camisas floridas. Deu-se a conhecer ao mundo da comunicação no MusicBox quando o Cais do Sodré ainda não tinha repelido os marinheiros que atracam cansados do tédio do alto-mar. Um dia conheceu Will Holland (o Quantic da Soul Orchestra) e admirou um mundo novo como Huxley um século antes.” Mesa de Mistura Clix
Facebook

Lay Llamas
“(…) Lay Llamas are more than your standard wah wah pedal toting, one-rhythm-knowing psych-heads. Though the Italian duo are undoubtedly up for some third-eye opening, like most who sign to Rocket Recordings, they’re brilliantly varied in how they go about it.” NME

Ostro by Lay Llamas

Mdou Moctar
Mdou Moctar (also known as M.dou Mouktar) is a Tuareg songwriter and musician based in Agadez, Niger. He first became famous through a subtle trading network of cellphones and memory cards in West Africa.
Mdou Moctar is a popular wedding performer and sings about love and peace in Tamasheq.He is originally from Abalak and has also lived in Tchintabaraden and Libya.
Wikipedia, SITE

Flamingods
“”In a big way, we’re all culturally confused.” Kamal Rasool is on the line from Dubai with his bandmate Charles Prest, reflecting on the sense of rootlessness that informs Flamingods’ new album Hyperborea. Released on Shape Records, the label founded by Welsh band Islet, it mixes its songwriting with chants, field recordings and dazzling clashes of multiethnic instrumentation.
Rasool founded Flamingods at home in Bahrain in 2009, originally as a solo project, recording on a variety of traditional instruments he’d collected while travelling. Flamingods became a group in 2010, following a weekend-long chalet jam at the Matt Groening-curated All Tomorrow’s Parties festival. Joining Rasool in the line-up were three of his Bahrain school friends, Craig Doporto, Charles Prest and Sam Rowe – by then all studying at university in the UK – and fifth member Karthik Poduval.” The Quietus

Hyperborea (Single) by Flamingods

High On Fire
“It was the late, great novelist and caffeine enthusiast Honoré de Balzac (1799-1850) who said, “Power is not revealed by striking hard or often, but by striking true.” And yet High On Fire have managed to do all three. Since the Oakland power trio’s inception in 1998 they’ve released six earth-splitting albums, each seemingly more unstoppable than the last. Forever haunting the halls of the Iommic Temple—the band’s own philosophical monument to Black Sabbath riff master Tony Iommi—High On Fire have become legends in their own time. As bong-huffing genre music rises and falls around them like so much windborne detritus, guitarist/vocalist Matt Pike, drummer Des Kensel and bassist Jeff Matz comprise the all-seeing eye of a perpetual riff-storm, always looking toward a future in which The End is always near.” Site


Killimanjaro
“São como búfalos a galope, sem destino algum, apenas o de estremecer aqueles por quem passam.
Só lhes interessa o palco, como a savana onde o búfalo se alimenta, para continuar a galopar. Killimanjaro.”
Facebook

Hook by KILLIMANJARO

Equations
“Os Equations, que são daquelas bandas sobre as quais dá mesmo gosto escrever porque bem merecem ser divulgados, são um quinteto maravilha que, supostamente, faz math-rock (eu não sabia o que era e eles tentaram explicar-me, já lá vamos) e que têm um belíssimo disco chamado Frozen Caravels, com o selo da Lovers & Lollypops (que é daquelas editoras sobre as quais também dá gosto escrever, por pegarem em tantas coisas boas). Quando falámos com eles, não tivemos os cinco à mesa (literalmente, já que a entrevista foi num café, perto da Feira da Ladra), mas antes o trio simpático que originou a banda: Vítor Barros (VT), Zé Pedro e Bruno Martins. “Somos de muitos sítios”, diz o Zé. “Eu sou da Maia, o VT e o Bruno são da mítica terra de São Mamede de Coronado, Trofa; o Zézé é de Braga e o GD é de Setúbal, mas gosta de dizer que é de Lisboa”. GD, para quem não reconhece, é Gonçalo Duarte, de tais grupos como Lydia’s Sleep ou os falecidos Porn Sheep Hospital.” Nervos

Frozen Caravels by Equations

The Glockenwise



Leeches by The Glockenwise

Teeth of The Sea
“Since their formation in 2006, London-based Teeth Of The Sea have metamorphosized into the most adventurous psychedelic rock outfit in the UK. Taking on board influences like Morricone, Eno, Delia Derbyshire, Goblin, and the Butthole Surfers , they’ve arrived at an incendiary sound that marries the aural enlightenment of an avant-garde sensibility with the reckless abandon of trashy rock & roll.”
“A bunch of friends go to a Wolf Eyes show, have their minds blown to crumbling matter and form a collective musical pact that night. Some five years ago, this is how Teeth of the Sea got started and it is still a story that Jimmy Martin recalls with both passion and glee. “It was like an epiphany in a weird way,” he beams. “You don’t get many of those. We all had eyeballs like saucers, swaying back and forth, just being deafened by this incredible racket. The thing that really got us about it was that it was really hedonistic but really Avant-Garde at the same time – I think that was a central principle.” It’s a principle that has spearheaded the groups’ own incredible racket over the years.” Lound and Quiet

MASTER by Teeth Of The Sea

Awesome Tapes From Africa
“I started Awesome Tapes From Africa (ATFA) as a way to make artefacts available from the cassette based music economy I have encountered around Africa. Something that began quite innocently as a means of filling the wide gaps in international music distribution – nearly every musician and producer I’ve met in West Africa wants to find a way to get their music beyond their borders – has become a spark in the often fiery debates surrounding suspected post-colonial tendencies of the Western music industry vis-à-vis the developing world.
My fascination with tape culture in West Africa led to the rather ironic activity of spreading analogue recordings via digital technology. It’s a pursuit that adds to outsiders’ appreciation of the breadth of musical subcultures in myriad African regions, many of which have been passed over by the otherwise excellent labels which have released music from the continent.” WIRE
“Brian Shimkovitz is the interesting person who started the blog Awesome Tapes from Africa in 2006, a unique and innovative way to bring music from the African continent to the rest of the world, from the real to the virtual, from the analogue to the digital. He also does dj sets using his collection of awesome African music cassettes tapes, not the most common way to dj either. We had the chance to talk with him about his blog, his trips to Africa and other things via Skype Rotterdam- Los Angeles in a summer, hot and peaceful evening.” Dress Lab
Awesome Tapes From Africa

CVLT
“CVLT é o nome que assume Nicolai Sarbib nas suas viagens exploratórias pelos caminhos espaciais do house, tecno, ‘disco’ e funk.
Nascido em Londres, mas criado entre Lisboa e Porto, por uma família de músicos de jazz, o gosto por novas sonoridades, a busca do ‘groove’ e a necessidade de coleccionar chegou cedo e de forma natural. Não será de estranhar que tenha passado a sua adolescência nas lojas de discos, criando uma colecção que se estende do punk até à soul, ou de África até Nova Iorque.
Nova Iorque foi também o palco da estreia de Sarbib como CVLT, ao partilhar a cabine com DJ Spun, co-fundador da seminal editora de house Rong Music, um pioneiro deste género electrónico que ainda hoje contribui activamente para a progressão desta sonoridade nascida em Chicago.
É difícil imaginar melhor arranque. CVLT nasce da vontade de partilhar música além dos géneros óbvios da formatação moderna criando uma viagem sonora perfeita para a pista de dança.” Musicbox Lisboa

27 de Julho / July

 Line-up Palco

Isaiah Mitchell
“Music has been around me since I was born. My dads a musician. When we lived in Texas in the early 1980’s my dad would have band practice at our house. I thought it was the coolest thing…..hearing loud drums and amplifiers rehearsing the same songs over many months times. The songs stuck in my mind as easy as the Itsy Bitsy Spider. When I would have some sort of creative writing task in elementary school, I always wrote about being in a band. I always named the bands after whatever my dads group was called at the time. At this point I never learned to play an instrument other than a short stint with the piano. It was all about the “COOL” that surrounded music and bands. Posters of the Police, Elvis and Frank Zappa……those guys were the dudes!”
SITE, FACEBOOK

Little Cobras
“Little Cobras son un trío de rock and roll formado a mediados de la década de los dos mil en El Puerto de Santa María (Cádiz).
Desde entonces han atesorado suficiente material original como para considerarles ya como una potente banda con un espacio propio identificable. Ellos son los hermanos Sergio Rejano (guitarra y voz) y Daniel Rejano (guitarra y voces) más Raúl Rivas (batería).
Su propuesta musical es altamente visceral y cargada de poderosos riffs de guitarra.
Se desenvuelven entre atmósferas atormentadas o con descargas electrizantes de rabia desbordada.
Podríamos definir a los Little Cobras como aventajados herederos de grupos como los Stooges, Oblivians o Reigning Sound y, desde luego, sus canciones no solo demuestran que su bagaje musical se ha empapado de ese rock and roll con trallazos punks, sino que son capaces de crear sus propios espacios sonoros que dejan huella”.
FACEBOOK


Songs For Dogs And Planets by Little Cobras

Morte Incandescente
Facebook

Disco Las Palmeras!
“‘Hay temas pop, aunque tengan mala hostia’
Fieles a lo expuesto en su debut, “Nihil Obstat”, (Matapadre, 11), Disco Las Palmeras! vuelven a levantar en “Ultra” ese muro de guitarras distorsionadas característico de su sonido” Mondo Sonoro, El Gira Discos

10.000 by Disco las Palmeras!

The Comet is Coming
We’re proud to announce London based Baba Yaga’s Hut as a curator for this year’s edition of Milhões de Festa. They will bring Flamingods, Soccer96 and The Comet is Coming all the way from the UK to our beautiful city of Barcelos!
Este ano, as curadorias vão para o nível internacional: a promotora londrina Baba Yaga’s Hut vai levar Flamingods, Soccer96 e The Comet is Coming ao Milhões de Festa 2014. Temos festa!
FACEBOOK


Duquesa
(…)”Duquesa cai mais naquela onda de Wilco, Yo La Tengo ou Mac DeMarco. Excelente portanto. Temos aqui então um óptima banda sonora para aqueles dias de férias em que associamos praia ou campo, sol até às 9 da noite, cervejas e caracóis e a melhor das companhias, um grupo de amigos e as suas namoradas giras. Faz-nos felizes e a torcer por mais.” Altamont

duquesa

The Jack Shits
“Os The Jack Shits são uma banda de garage rock que junta Jack Legs (Diogo Augusto), Jack Straw (Samuel Silva) – que integra(ram) bandas como os Sonic Reverends ou os Los Saguaros – e Jack Suave (Nick Nicotine) – de bandas como a Nicotine’s Orchestra, The Act-Ups ou Bro-X.
“The Fine Art of Bleeding” foi o EP de estreia da banda que apresentou, pela primeira vez uma amostra do que estes tipos têm andado a fazer. Foi lançado no final de 2013 em vinil de 7 polegadas pela Experimentáculo Records e pela Monotone Records. São 4 temas crus, sem esquisitices e directos ao assunto, características que são a imagem de marca da banda.
Já em Março de 2014, o longa-duração “Chicken Scratch Boogie”, com 12 temas, foi lançado pela Experimentáculo Records e continua a explorar o tom do EP de estreia com temas gravados no Estúdio King – Barreiro ao vivo e ao primeiro take.” Hey Pachuco

Chicken Scratch Boogie by The Jack Shits

Zacarocha
“Cores, sentimentos e ritmo são as palavras que caracterizam Zacarocha. Com apenas 23 anos, Guilherme Lopes é um dos produtores da nova vaga da música electrónica made in Portugal. O seu som conjuga ritmo sem barreiras e linguagens únicas que derivam dos sintetizadores e do sampling que usa para retalhar desde vozes de aclamados artistas a autoclismos. Um universo musical onde o limite é mesmo a criatividade.” FONTE
FACEBOOK

Thug Unicorn
“I’m a thug unicorn, I go were the cute girls are
sometimes I shit rainbowns so I can fly to the stars
All my homies know that I just came to grab some ass
’cause I’m a pretty motherfucker and give them unicorn sex”
Facebook

Filho da Mãe & Norberto Lobo
Entrevista TSF Filho da Mãe
Facebook Filho da Mãe, Norberto Lobo



Cabeça by Filho da Mãe
Mogul de Jade by Norberto Lobo & João Lobo

Young Magic
“On their sophomore LP, Breathing Statues, musical duo Isaac Emmanuel and Melati Melay — aka Young Magic — take advantage of expansive, production-heavy songwriting in order to explore themselves and the world through art. The result is an understated record that moves in extremes, touching upon the minuteness and vastness of self and the natural world through a bed of melting synths, novel electronic sounds, heavy-duty percussion, and elusive vocals. Forgoing the need to ground itself in a specific story or persona, Breathing Statues alternates between aimlessness and direct contact with the listener, guiding us as a wandering spirit does through the unconscious.” Redefine Mag, Facebook

Earthless
“After a hotbox of an Earthless show in London last summer, I got talking with a soaked Isaiah Mitchell and learned that when he’s not manipulating time and space on stage, he’s also an online guitar teacher to players all around the world.
I caught up with him some time later to ask him a few more questions…” Doughnut Mag, Facebook


Melt Yourself Down
“It’s practically impossible to describe what Melt Yourself Down sound like without coming across like a caricature of Bobby Gillespie. Let’s give it a try: punk jazz funk afrobeat blues hip-hop no-wave free-jazz dance psychedelic rock. See what I mean?” The Quietus
Kicking the Habit
Facebook

Melt Yourself Down by Melt Yourself Down

Sequin
“Que as mulheres começam a dominar a música nacional nos seus variados estilos, já nos apercebemos disso (e ainda bem que assim o é). Sem grandes pretensiosismos, Ana Miró, a voz feminina de JIBÓIA, decidiu aventurar-se a solo, mostrando as suas próprias composições e achou a palavra Sequin adequada para sintetizar a sua essência pessoal. “Penélope” é o título do disco que editado a dia 21 de abril com o selo da Lovers & Lollypops e produzido inteiramente por Moullinex.” Rua de Baixo
, Facebook

Penelope by Sequin

Jagwa Music
“Imagine a crew of 8 youngsters playing nutty grooves at breakneck speed on traditional & makeshift percussion, a keyboard player going mad on a battered vintage Casio, and three relentless front persons: two breathtaking, spectacular dancers and a charismatic lead vocalist/MC, belting out songs about survival in the urban maze, unfaithful lovers and voodoo.
Shall we call this “Afro-punk” because of the DIY attitude and the creative use of noise and distortion? Or shall we refer to minimal or trance music? To the sexual energy of kuduro and mapouka? To the connection with any socially-conscious Western musical tradition (from rock to hip hop)? Or shall we simply welcome the advent of one of the most exciting bands around, and enjoy their exhilarating combination of pure energy, dazzling virtuosity and great showmanhip?” Site, Facebook

Night Beats
“NIGHT BEATS, who headline Saturday, have been on the American psych scene since 2009 and have been building a worldly audience ever since. The band are signed to Burger Records, a name you’ll be familiar with if you’ve spent any amount of time on this site over the past couple of years.
When I asked the band about how they feel the Burger vibe has traveled to the UK they told me, ”When we started coming over a few years ago I used to wear this Burger Records pin and no one knew what the fuck it was. Things are different now, it’s cool.”” Sex Beat
Facebook

Frikstailers
Site ZZK




DJ Nigga Fox
“Depois de DJ Marfox, há um novo produtor pronto a detonar as pistas: Nigga Fox. Não por acaso, os dois formam o alinhamento da Noite Príncipe desta sexta-feira, dia 19 que fica completa com os Niagara.
A pista começa a escaldar por volta das 02h00 e Nigga Fox, ou Rogério Brandão, é o segundo neste ataque afro-dançável à baixa da cidade. Não há nada de errado nisso, bem pelo contrário. É apenas o reconhecimento de um clube onde se ouve música inteligente, o MusicBox, da aceitação que esta música tem junto de “camadas informadas”.” Facebook, Soundcloud

Transportes

Boleia e carro

Há uma página de boleias para o festival criada no facebook: Milhões de boleias.
Aí poderás procurar ou oferecer boleia.
O valor das despesas poderá ser antecipado com a calculadora de itenerários ViaMichelin para saber os valores aproximados de combustível e portagens.
Resumo do itinerário
Lisboa – Barcelos
Custo estimativo: 67.70 € com um veículo Gasolina
Portagem: 25.25 € + Combustível 42.45 €
Tempo: 04h20 com 03h36 de auto-estradas
Distância: 372 km com 356 km de auto-estradas

Transportes públicos
Para nós nada melhor do que ir ao super na véspera, meter umas bebidas no frigorífico, fazer umas sandes, e escolher comboio.
O que há a mais de tempo entre vagões, há de ouvir música,ler e conviver.
Captura de ecrã
Captura de ecrã
Também há a possibilidade de autocarro:
Captura de ecrã
Captura de ecrã

Alojamento

Parque de campismo gratuito

O parque de campismo é gratuito para quem tem o passe geral, faz bem à saúde e há malta que nunca sai de lá antes das 22:00.
É uma parte importante do festival.

Cama

Na cidade e arredores, segundo a Câmara Municipal, há oferta em termos de hotelaria e alojamento local.
Para quem tem espírito de aventura sugerimos o Couchsurfing, Airbnb.

Contactos úteis

Festival
startrek
Press – press@milhoesdefesta.com
Geral – geral@milhoesdefesta.com
Passatempos – triangulos@milhoesdefesta.com
Voluntariado – voluntariado@milhoesdefesta.com

Emergências

BOMBEIROS
Voluntários de Barcelos – 253 802 050
Voluntários de Barcelinhos – 253 831 338
Voluntários de Viatodos – 252 960 800
Protecção civil – Comando distrital de operações de socorro
Rua D.Afonso Henriques, 105 1-E, 4700-030 Braga – Telefone 253 201 350 – Fax 253 201 358 – cdos.braga@prociv.pt
Emergências médicas
Hospital Santa Maria Maior – 253 809 200 – urgencia@hbarcelos.min-saude.pt
Aqui está a lista de contactos de farmácias de serviço e reforço, serviços públicos e saúde de Barcelos.
Mais uma lista de contactos de Bombeiros e polícia em Barcelos e arredores.
A última lista tirada daqui, onde estão os contactos das Juntas de Freguesia.

Excelente Milhões!!!

[content field=”jsjs”]