Hugo Centúrio e o single “enquanto”

Está já disponível para audição o novo trabalho de Hugo Centúrio em nome próprio.
Líder dos projectos Inmyths e Nyneth, o cantautor mostra ser um músico completo, quer a nível digital onde Nyneth é campo de experimentação tecnológica e criativa, como agora em nome próprio onde grava todos os instrumentos, guitarra e voz – já o fazia em Inmyths – mais baixo e (!) bateria.
Aqui fica exposto “enquanto” para audição e crítica pois é neste trabalho que se materializa algo que Hugo Centúrio há muito idealizava, a aventura da construção de letras para serem cantadas em português.
As influências de Pixies, Nirvana, Sound garden e muitas mais bandas onde Hugo Centúrio se fez músico são subliminares, porém curiosamente face a tudo o que temos nestes últimos 20 anos assistido, não o fazem refém do chamado “grunge” quer na estrutura musical onde isenta o seu trabalho de clichés e maneirismos insuportáveis, nem o remetem para os inócuos temas habituais do universo do coitadinho ou do inadaptado.
Hugo partilha connosco em “enquanto” o seu carácter e personalidade, tendo como inspiração a chamada “realidade” que nos aprisiona e castra em pleno século XXI.
O resultado quanto ao programa Arquitectura do Ruído é único pois temos agora a hipótese de na nossa língua nativa mergulhar nos temas e assuntos que animam e inquietam a produção musical do autor.

“Enquanto” é Hugo Centúrio, voz e dicção inigualáveis, o tom melancólico característico e perguntas interiores de resposta altamente complicada que cabe a cada um de nós responder com sinceridade sem auto-engano, sem pré-conceitos e sem paradigmas indecifráveis. A realidade pode ser muito diferente para cada um de nós, mas esta ataca-nos a todos:

Um espelho será a nossa televisão
Vamos assistir no conforto de um cadeirão
Às nossas vidas a passar enquanto
esperamos um melhor programa em vão

Enquanto, em quanto?

Queremos ver até onde chega “Enquanto” e o que mais está para vir.

Dirigimos daqui uma saudação especial a Hugo Centúrio!

Bem hajas,
Paulo Piedade Rodrigues

Baron Wasteland, tema do novo LP dos Lightning Bolt, Oblivion Hunter, a lançar este mês pela Load Records

New Lightning Bolt LP – Oblivion Hunter Não descartando o facto de muitas bandas se completarem na produção, esta não faz questão disso.
Se o estúdio existe é uma ferramenta à mão para registar o que se está a passar. No caso dos LB, a coisa poderia ter acontecido na cozinha, na escola, na junta de freguesia, no parque de estacionamento ou no natal dos hospitais, porém é no estúdio mesmo que a coisa aconteceu ao longo de quase vinte anos erráticos no que concerne a palco, ensaio, turné e gravações. Este LP é uma colecção de gravações mais ou menos recentes referidas pela Load como épicas. Não estive lá, mas entendo o que querem dizer somente por ouvir. Trata-se de uma grande viagem em que os LB nos vão dando pontapés nas canelas para nos mexermos, com espasmos, pogo, stage-diving, homem estátua, euro-pop, enfim, ou sim ou sopas.
O apelo despertado, enquanto me deleito sentindo os meus ouvidos a serem destruídos, é a rave. Por exemplo, em Baron Wasteland, a bateria é prova da superioridade do ser humano face à caixa de ritmos, o baixo, dividindo em graves e agudos, nos graves vai criando a almofada fresquinha que nos acompanha ao mesmo tempo que nos sons agudos, somos relembrados que estamos a levar porrada. E porrada da grossa, ouça-se World Wobbly Wide e constate-se a coisa.
O coito deste valente jogo de porrada é The Soft Spoken Spectre, tema que parece ser pano sonoro de um documentário etnográfico sobre o povo celta do Baixo Vouga (http://www.ctrbaixovouga.com/), onde se é massajado e preparado para Salamander, tema freneticamente bollywoodesco e escocês (http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=dOAVZ8gP2yQ). O volume está sempre elevado ao máximo, certamente os botões estavam lá no estúdio, como sempre estão, basta só que alguém goste de os rodar ao máximo. Os LB fazem isso, são dois gajos acompanhados por um chinfrim de todo o tamanho. Levam-no para todo o lado em glória: “You are now the Oblivion Hunter”.

Lançamento na Load Records: http://loadrecords.com/new-lightning-bolt-lp-oblivion-hunter/
Saca o álbum aqui: http://newalbumreleases.net/49039/lightning-bolt-oblivion-hunter-2012/

http://www.youtube.com/watch?v=mwLJdYC5q8I